quarta-feira, 20 de março de 2019

SINSERPSINO: Servidora Lucimeire Moreira ganha no Tribunal de Justiça diferença do 13º salário e 1/3 férias


Orientada pelo Sindicato dos Servidores (SINSERPSINO) e seu advogado Dr. Josenildo Galeno, a servidora Lucimeire Moreira da Silva Nascimento ganhou em 2º instância no Tribunal de Justiça,  ação das diferenças diferenças relativas ao pagamento a menor das verbas trabalhistas relativas ao 13º (décimo terceiro) salário e 1/3 de férias constitucionais proporcionais dos anos de 2010 a 2014.

A servidora teve sentença favorável na Comarca de Montes Altos-MA, mas o município apelou da decisão, alegando prescrição do pedido e demonstrando efetivação de pagamentos das verbas trabalhistas. O município pediu a reformulação da decisão de primeira instância e o improvimento da sentença.

O Desembargador Ricardo Duailibi, negou o recurso da Prefeitura de Sítio Novo, mantendo sua decisão de acordo com a manifestação da Procuradoria Geral de Justiça, que reconheceu o recurso, mas negou a apelação, determinando que seja mantido a decisão de primeira instância e garantindo os direitos da servidora.

Para o Presidente do SINSERPSINO, Professor Abel, a decisão é mais do que justa e dar a garantira para os demais servidores que estão em situação semelhantes a cobrar o seu direito.

Ele agradeceu ao advogado Dr. Josenildo Galeno, que vem ganhando todas as ações trabalhistas. "Só tenho a agradecer a Dr. Josenildo pelo excelente trabalho prestado ao SINSERPSINO, assegurando os direitos dos servidores públicos de Sítio Novo e que o resultados de todas as ações em breve contemplarão os servidores" afirmou o Presidente do SINSERPSINO. 

Veja a sentença na íntegra!



Segunda-Feira, 18 de Março de 2019.


ÀS 16:12:18 - Remetidos os Autos destino COORDENADORIA DAS CÂMARAS CÍVEIS ISOLADAS; motivo_da_remessa outros motivos - COORDENADORIA DAS CÂMARAS CÍVEIS ISOLADAS


ÀS 16:06:30 - Conhecido o recurso de parte e não-provido nome_da_parte MUNICÍPIO DE SÍTIO NOVO/MA; Tipo decisao Decisão extintiva - GAB. DES. RICARDO TADEU BUGARIN DUAILIBE




QUINTA CÂMARA CÍVEL
APELAÇÃO CÍVEL Nº 742-35.2015.8.10.0102 (4345/2018) -MONTES ALTOS

APELANTE: Município de Sitio Novo/MA
PROCURADOR: Dr. Edmilson Franco da Silva (OAB/MA 4401)
APELADA: Lucimeire Moreira da Silva Nascimento
ADVOGADO: Dr. Josenildo Galeno Teixeira (OAB/MA 11086)
RELATOR: Desembargador RICARDO DUAILIBE

DECISÃO

 
Trata-se de Apelação Cível interposta pelo Município de Sitio Novo, contra a sentença exarada pelo Juízo de Direito da Comarca de Montes Altos/MA que, nos autos da Ação Ordinária de Cobrança proposta por Lucimeire Moreira da Silva de Nascimento, ora Apelada, julgou procedentes os pedidos contidos na inicial para condenar o Apelante a pagar as diferenças relativas ao pagamento a menor das verbas trabalhistas relativas ao 13º (décimo terceiro) salário e 1/3 de férias constitucionais proporcionais dos anos de 2010 a 2014.
 
Em suas razões recursais (fls.103/109), o Apelante suscitou preliminar de prescrição, pelo que requer a declaração da prescrição de todas as verbas anteriores a 01/07/2010, em observância ao art.7º, XXIX, da CF.
 
Assevera que efetuou o pagamento do 13º (décimo terceiro) salário devidamente, conforme fichas financeiras que afirma ter acostado ao feito, pelo que a pretensão autoral não mereceria acolhida.
 
Com fundamento nas razões em síntese, relatadas, pugnou a municipalidade pelo conhecimento e provimento de seu Apelo, reformando-se a sentença para julgar a ação improcedente.
 
A Apelada não apresentou contrarrazões, conforme atesta a Certidão de fls. 111.
 
A Procuradoria Geral de Justiça às fls. 122/128, manifestou-se pelo conhecimento e improvimento do recurso de Apelação, para que seja mantida incólume a sentença de primeiro grau.
 
É o relatório.
 
Inicialmente, verifico presentes os requisitos intrínsecos de admissibilidade, atinentes ao cabimento, legitimidade e interesse recursal, assim como os extrínsecos concernentes à tempestividade e regularidade formal, razão pela qual conheço o recurso.
 
Do exame acurado dos autos, vejo que há entendimento dominante deste Tribunal de Justiça quanto à matéria discutida na lide, sendo possível, desta forma, o julgamento monocrático do presente Apelo, mediante aplicação analógica do verbete da Súmula nº 568 do Superior Tribunal de Justiça - STJ, in verbis:
 
Súmula nº. 568 do STJ: O relator, monocraticamente e no Superior Tribunal de Justiça, poderá dar ou negar provimento ao recurso quando houver entendimento dominante acerca do tema.
 
Em relação à prescrição, é necessário observar o que dispõe o Decreto nº 20.910/32, em seu artigo 1º, in verbis:
 
"Art. 1º - As dívidas passivas da União, dos Estados e dos Municípios, bem assim todo e qualquer direito ou ação contra a Fazenda federal, estadual ou municipal, seja qual for a sua natureza, prescrevem em cinco anos contados da data do ato ou fato do qual se originarem".
 
No caso a presente ação não está prescrita pois ajuizada no dia 26/06/2015, portanto dentro do prazo previsto em lei de 05 (cinco) anos, visto que a cobrança é do período de 2010 a 2014, respeitados os limites de prescrição em 26/06/2010.
 
Rejeitada a preliminar, passo à análise do mérito do recurso.
 
No mérito, verifico que a Apelada demonstrou a sua condição de servidora pública ao passo que, por outro lado, o Município em nenhum momento comprovou que pagou as diferenças das dotações pleiteadas, bem como não impugnou os documentos acostados aos autos que evidenciavam o vínculo funcional e a contraprestação dos serviços prestados pela Recorrida.
 
É sabido que ao réu incumbe provar o fato extintivo da obrigação, na esteira do que prescreve o art. 373, II, do CPC.
 
Essa também é a posição desta Egrégia Corte, dentre os quais colaciono os seguintes precedentes:
 
APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE COBRANÇA DE SALÁRIO. LITISPENDÊNCIA COM AÇÃO COLETIVA. IMPOSSIBILIDADE. INTERRUPÇÃO DO PRAZO PRESCRICIONAL. I-Somente existe litispendência quando a ação anteriormente ajuizada tem as mesmas partes, a mesma causa de pedir e o mesmo pedido. II - Inexiste ocorrência do fenômeno processual da litispendência, uma vez que a ação coletiva não induz litispendência quanto às ações individuais. III - O Superior Tribunal de Justiça assentou entendimento no sentido de que a citação válida no processo coletivo, ainda que este venha ser julgado extinto sem resolução do mérito em face da ilegitimidade do Substituto Processual, configura causa interruptiva do prazo prescricional para propositura da ação individual. IV - A ação ordinária de cobrança é a via adequada para obter o recebimento de parcelas de vencimentos não pagos. IV- Nos termos do art. 333, II, do CPC/1973, compete ao réu demonstrar a existência de fato impeditivo, modificativo ou extintivo do direito do autor. VI - O direito ao recebimento de vencimentos atrasados é assegurado constitucionalmente aos servidores públicos.   (Ap 0245122016, Rel. Desembargador(a) JORGE RACHID MUBÁRACK MALUF, PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL, julgado em 15/12/2016, DJe 16/01/2017).
 
PROCESSO CIVIL. APELAÇÃO CÍVEL.AÇÃO ORDINÁRIA DE COBRANÇA.PRELIMINARES. AFASTADAS. PAGAMENTO DE REMUNERAÇÃO MENSAL E 13º SALÁRIO. NÃO COMPROVADO. INCUMBÊNCIA DA MUNICIPALIDADE. OBRIGAÇÃO DO MUNICÍPIO EM PAGAR OS VENCIMENTOS. NÃO DEMONSTRAÇÃO DE FATOS EXTINTIVOS.MANUTENÇÃO DOS HONORÁRIOS EM 10%. SENTENÇA MANTIDA. IMPROVIMENTO. I -Preliminar de litispendência, é ressaltado que inexiste a ocorrência deste instituto quando há em curso uma ação coletiva e outra individual, ainda que sobre o mesmo fato jurídico, no caso existe uma Ação Ordinária de Cobrança Coletiva proposta pelo Sindicato de Professores do Município de Caxias, e, neste mesmo sentido,aduzo Código de Defesa do Consumidor, em seu artigo 104, relatando que háinexistência da incidência de litispendência entre ações coletivas e individuais, pois o Sindicato representa toda a categoria de servidores públicos, não atingindo o direito do particular ajuizar ação individual. Preliminar rejeitada; II-Preliminarde prescrição, tambéminexistiu o instituto, já que ao ter sido a citação na ação coletiva válida, o prazo foi interrompido, e só voltou a ser contado a partir do último ato processual da causa interruptiva, no caso o acórdão que extinguiu o processo sem resolução de mérito. Desta forma, considera-seque a citação válida para as ações de cunho coletivo interrompe o prazo prescricional das ações individuais que veiculam a mesma controvérsia. Preliminar rejeitada; III-Preliminar de cerceamento de defesaentende-senão merecerprosperar, já que foi oportunizada a defesa do aqui apelante, podendo este ter trazido no corpo de sua Contestação os comprovantes de pagamento do mês de dezembro de 2000 e o décimo terceiro salário do respectivo ano. Preliminar rejeitada; IV - É dever do contratante/apelante provar que realizou o pagamento do que lhe está sendo cobrado, pois ele é o polo que detém a capacidade de demonstração de quitação do débito, não o cumprindo ao não comprovar opagamento efetuado a sua servidora, quer seja por meio de contracheques e recibos de pagamento, quer seja por ordens bancárias; V- Os honorários compercentual de 10% sobre o valor da condenação mostra-se razoável, pois observa-se que a demanda exigiu do causídico empenho em provar o direito pleiteado pelo seu cliente, foi zeloso, cumpriu todos os prazos processuais e acompanhou toda a demanda. Portanto, deve ser mantido o valor dos honorários fixados pelo juízo de origem. Apelo improvido. (Ap 0321912015, Rel. Desembargador(a) JOSÉ DE RIBAMAR CASTRO, QUINTA CÂMARA CÍVEL, julgado em 22/05/2017, DJe 25/05/2017)
 
Por outro prisma, constato que, a sentença merece reforma no tocante aos honorários advocatícios, visto que estes só deverão ser fixados quando da liquidação do julgado, nos termos do inciso II, do § 4º, do artigo 85 do Código de Processo Civil.
 
Nesse sentido, entendimento desta Corte de Justiça:
 
APELAÇÕES CÍVEIS. RECLAMAÇÃO TRABALHISTA. CONTRATAÇÃO SEM CONCURSO PÚBLICO. MUNICÍPIO. CONTRATO NULO. DEMONSTRAÇÃO DO VÍNCULO. DIREITO À PERCEPÇÃO DE SALDO DE SALÁRIOS E FGTS. SÚMULA Nº 363 DO TST. PRESCRIÇÃO QUINQUENAL. APLICAÇÃO DO DECRETO Nº 20.910/32. DÉBITO DE ADMINISTRAÇÃO ANTERIOR. NECESSIDADE DE INSCRIÇÃO EM RESTOS A PAGAR. DESCABIMENTO. NATUREZA ALIMENTAR. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. ALTERAÇÃO DE OFÍCIO. DEFINIÇÃO APENAS APÓS A LIQUIDAÇÃO. PRIMEIRO APELO PARCIALMENTE PROVIDO. SEGUNDO APELO IMPROVIDO. 1. Em caso de contratação nula com a Administração Pública, a parte tem direito ao saldo de salário e aos depósitos do FGTS, nos termos da Súmula nº 363 do TST, jurisprudência esta reverberada no STF e no TJMA. 2. Somente serão devidas as verbas remuneratórias (salários e FGTS) nas hipóteses de demonstração inequívoca da existência de vínculo trabalhista com o ente público, ônus probatório que cabe ao reclamante (art. 333, I, CPC), o que ocorreu na espécie. 3. Sendo a cobrança de crédito relativo a FGTS em desfavor da Fazenda Pública, a prescrição ocorre em 5 anos, conforme Decreto nº 20.910/32. 4. Independentemente da continuidade ou renovação contratual, permanecerão prescritas as parcelas do FGTS anteriores aos 5 anos da propositura da ação. 5. Não há que se falar em necessidade de inscrição da pendência de pagamento em "restos a pagar", visto que o trabalhador não pode ter seu direito básico ao recebimento do salário, verba alimentar, condicionado a contingências burocráticas da administração pública municipal. 6. Necessária a reforma de ofício dos honorários advocatícios arbitrados na sentença, para que a definição do percentual ocorra apenas na fase de liquidação/execução, uma vez que ilíquida a condenação, nos termos do art. 85, § 4º, inciso II, do Código de Processo Civil. 7. Primeiro apelo parcialmente provido e segundo improvido.(Ap 0584282016, Rel. Desembargador (a) KLEBER COSTA CARVALHO, PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL, julgado em 16/03/2017, DJe 22/03/2017).
 
 
Ante o exposto, e de acordo com o parecer da Procuradoria Geral de Justiça, conheço e nego provimento ao presente recurso , porém, de ofício, determino que os honorários advocatícios de sucumbência sejam definidos após a liquidação do julgado, conforme acima explanado.
 
Publique-se. Intime-se e Cumpra-se.
 
São Luís/MA, 18 de março de 2019.
 
Desembargador RICARDO DUAILIBE
Relator



quarta-feira, 13 de março de 2019

Prefeitura de Lajeado Novo no Maranhão Inicia Ataques ao Sindicato SINTEESPLAN de Servidores Públicos Municipais .


Iniciou-se os ataques das Prefeituras do Maranhão contra os Sindicatos que representam os servidores públicos municipais em todo o estado. 

Lajeado Novo nos parece ser o primeiro município do Maranhão a agir com base na MP 873, do presidente Jair Bolsonaro para destruir os Sindicatos brasileiros, representantes e defensores da classe trabalhadora. 

O Sinteesplan, que é o Sindicato local de representação do servidor público no município de Lajeado Novo, foi notificado nesta segunda  feira(11/03/), pelo setor de RH da Prefeitura, informando que a gestão municipal  está deixando doravante, de descontar e recolher em folha, a mensalidade associativa dos servidores filiados à entidade, inclusive deixando de recolher as mensalidades associativas ja na folha do mês de fevereiro, antes da edição da referida MP que foi publicada no DOU dia 1 de março, sexta feira de carnaval, já a noite em edição extra do Diário Nacional. 

Só que a MP-873 não pode retroagir para prejudicar os Sindicatos que já descontam em folhas as mensalidades dos sócios. 

Em tempo. 

O Sinteesplan foi o primeiro Sindicato do Maranhão a impedir que a Prefeitura local ficasse  com os Precatórios do Fundef. O bravo Sindicato lutou ferozmente para impedir que a prefeitura de Lajeado se apoderasse de 60% desses precatórios que a entidade reivindica como um direito inalienável do professor. Agora veio a vingança da gestão municipal de Lajeado Novo contra o aguerrido Sindicato local.

FONTE: SINTESPLAN

Atraso em reformas adiou início das aulas em Sítio Novo


Ano letivo nas escolas municipal de ensino começou nesta segunda-feira (11) de março, devido ao atraso em reformas das escolas do município.

A principal escola da cidade (Complexo Escolar Deputado La Roque) que acomoda mais de 700 alunos nos três turnos era a que tinha mais serviços a serem concluídos, como reparos, pinturas das sala,reforma de banheiros e outros consertos. As escolas Gerusa Leite e Santa Teresinha, no bairro Vila Nova também passaram por grandes reformas, já que há mais de 4 anos não recebiam manutenção.

A situação gerou bastantes críticas pela  oposição, levando o Prefeito João Piquiá a inaugurar 02 escolas no município (Clique aqui) que estava em obras desde de 2014, uma forma de contrapor as críticas. 

Além disso, a gestão ampliou uma agenda de trabalho, reformando várias escolas do município, tanto na sede como na Zona Rural, o que levou ao atraso do início do ano letivo, previsto a ser iniciado em fevereiro. Um mês depois do início da rede estadual de ensino (Clique aqui)

Vereadores da situação não reclamaram, mas afirmaram que o governo municipal está planejando um calendário para o cumprimento dos 200 dias letivos, o que poderá levar as aulas até janeiro do ano que vem.

Veja algumas imagens como as escolas estavam!




















sábado, 9 de março de 2019

Crime Ambiental: lixo é jogado as margens da MA-280, a menos de 1 km de Sítio Novo

Descarte de forma irregular, resíduos criam problemas sociais e ambientais


A menos de um quilômetro de Sítio Novo, sentido Grajaú, é encontrado lixo jogado as margens da rodovia MA280, provocando mau cheiro e atraindo aves (urubus), além de poluir a paisagem natural.

No local são encontrados telhas, garrafas pet, roupas velhas, caixa de papel, restos móveis e até animais mortos, o que tem atraído urubus. Estas aves poderão causar acidentes durante vôos, quando os veículos que ali trafegam em altas velocidades os assustam levando à colisões.

Apesar da Prefeitura de Sítio Novo realizar a coleta de lixo regulamente, ainda existe moradores sem consciência do dando ambiental que está causando. O código de postura ambiental do município prevê multas e responsabilizar as pessoas que jogam os lixos em vias públicas. A Prefeitura deverá nos próximos dias colocar um fiscal no local para identificar os responsáveis e aplicar o código de postura do município.

Vejam alguns cuidados que devem ser tomados, para evitar problemas:

 Não jogue lixo ou entulho nas vias públicas, córregos, lotes vagos, bueiros e encostas. Além de poluir a cidade, o lixo nas ruas entope as bocas de lobo e pode provocar enchentes.

• Respeite os dias e horários de exposição do lixo para coleta. Evite deixar seu lixo na rua por mais tempo que o necessário.

• Embale corretamente seu lixo em sacos resistentes, bem fechados e de tamanho adequado para evitar que eles se abram e espalhem o lixo nas vias públicas. Lixo não embalado, além de exalar mau cheiro, atrai animais que podem ser portadores de doenças.

• Proteja o vidro e outros materiais pérfuro-cortantes (estiletes, pregos, lâminas) com material resistente antes de colocá-lo no saco de lixo e pressione as tampas das latas para dentro. Esses materiais desprotegidos podem ferir o gari, mesmo que ele use as luvas protetoras. O gari acidentado pode ter que se afastar do trabalho e a coleta em sua região ficará prejudicada.

Veja algumas imagens coletada no local!







Estradas da Zona Rural de Sítio Novo estão praticamente intrafegáveis, denuncia vereador Pebinha do Povo


O Vereador Pebinha do Povo (Evandro Viana), denunciou esta semana, que as estradas da região de Sede Batalha, onde três escolas foram fechadas, estão praticamente intrafegáveis.

De acordo com o vereador, a grande quantidade de chuvas tem tornada as estradas no verdadeiro lamaçal impossibilitando os alunos a chegarem nas escolas.

Ele informou ainda, que no próprio Assentamento Sede Batalha, as ruas se transformaram em lagoas e que a Promessa da Prefeitura de Sítio Novo em calçamento das ruas ainda não foi cumprida. Veja as imagens!











quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

Prefeitura de Sítio Novo usa ônibus escolares para transportar servidores em inauguração de obras


A Prefeitura de Sítio Novo, através do Prefeito João Piquiá usou vários ônibus escolares para transportar servidores durante as inaugurações de obras neste sábado (23). 

A denúncia está sendo formalizada pelos pré-candidatos a Prefeitura de Sítio Novo que alegam que o Prefeito João Piquiá está usando a estrutura administrativa para promover a pré-candidatura do vice-Prefeito Antônio Coelho que vem tentando se viabilizar nos últimos dias.

Para eles, a gestão municipal torna a disputa desproporcional aos demais concorrentes e vão cobrar da justiça posicionamento sobre o caso.

De acordo com as normas, os ônibus escolares só podem ser usados para transportar estudantes e jamais para promoção de pré-candidaturas.

Segundo informações, o Prefeito teria determinado que os ônibus ficassem em fazendas próximas para receber os servidores e levar o maior número de pessoas para inaugurações das três obras no final de semana (Clique aqui).

As imagens já estão sendo recolhidas e serão apresentadas aos órgãos da justiça. Agora é aguardar e conferir!

SINSERPSINO protocola pedido ao ministério público cobrando que prefeitura realize concurso público


Na manhã desta terça-feira (26), o Sindicato dos Servidores e Servidoras do Serviço Público Municipal de Sítio Novo-MA (SINSERPSINO), protocolou pedido ao Ministério Público cobrando para que a Prefeitura de Sítio Novo realize concurso público com o máximo de urgência.

De acordo com o sindicato, o corpo de servidores concursados tem um total de 743 servidores, enquanto os servidores contratados somam 323 que equivale a 43,47% dos servidores efetivos.

Sem realização de concurso público desde 2010, estes servidores que vem sendo contratados anualmente não conseguem adquirir um emprego definitivo na prefeitura via concurso público, sendo obrigado a renovar contratos todos os anos sem receber os direitos trabalhistas, como por exemplo, pagamento de gratificações natalinas e recebimentos de férias.

O Presidente do SINSERPSINO, Professor Abel chegou a afirmar que a Prefeitura de Sítio Novo vem burlando a obrigação do ingresso no serviço público pelo concurso público e o faz de maneira precária (contrato) e ainda sem respeitar as leis trabalhistas. 

Para ele, a prefeitura vem criando  um sistema perverso de contratos que retira direitos dos contratados, além de impedi-los deles ingressarem na carreira pública via concurso público. 

"A situação é perversa, e tudo que foi citado sobre as formas de contratos em Sítio Novo, é para inviabilizar concursos e burlar a legalidade, impondo um sistema não de serviço público e sim um sistema de servidão pública" destacou

Segundo o sindicato, o contrato temporário é por um período curto, para atender uma necessidade emergente e que não existe tempo hábil ou necessidade de fazer um concurso, o que não é o caso apontado em Sítio Novo, já que a situação de contratos virou rotina e apenas são renovados ou refeitos os contratos anteriormente celebrados.

No pedido, o sindicato requer que o Ministério Público tome providência para obrigar o município de Sítio Novo a realizar concursos para preenchimentos das vagas necessárias e evite as precariedades de trabalhos apontados.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Vereador Menervaldo, pré-candidato a prefeito participa de conferência extraordinário do PC do B em São Luis


O Vereador Menervaldo (PC do B), pré-candidato a prefeito de Sítio Novo, participou, na última sexta-feira (22), da Conferência Estadual do PC do B na capital maranhense.

Ele estava acompanhado do Secretário de Organização do partido em Sitio Novo, Miguel Lima e do Deputado Estadual Professor Marco Aurélio.

Estiveram presente também, o Deputado Federal Marcio Jerry, a Presidente Nacional do Partido, Luciana Santos, do Secretário de Estado de infraestrutura, Cleyton Noleto  e do Governador Flávio Dino.

Na ocasião foram debatidos as teses nacionais, estaduais e municipais para garantir a participação do partido nos processos eleitorais, além da luta contra os ataques contra a democracia e cerceamento de direitos e garantias individuais. 

O Diretório Estadual do PC do B já declarou apoio a candidatura do vereador Menervaldo a prefeito de Sítio Novo nas eleições de 2020. Veja algumas imagens!






segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Prefeito João Piquiá inaugura obras no interior do município, mas público é um fiasco


Após várias denuncias da oposição por falta de manutenção das escolas e o fechamento de três escolas do município (clique aqui), o Prefeito João Piquiá resolveu contrapor os opositores, iniciando uma agenda de três inaugurações de obras no interior do município, realizado neste sábado (23).

A primeira delas foi a escola do Povoado Grupo Novo, seguida da escola de Paciência e a reinauguração da pavimentação asfáltica no Povoado Santa Maria.

De acordo com as informações, o público foi um fiasco e ainda teve uma lavagem de roupa suja, quando o presidente da Câmara de Vereadores, Ruimar Raposo, questionou a ausência de seu nome nas placas de inauguração das obras.

A situação gerou um "climão" na frente do Deputado Federal João Marcelo que prestigiava as inaugurações. 

O clima entre o grupo político do prefeito parece está desafinado e aponta um possível rompimento do Presidente da Câmara de Vereadores, Ruimar Raposo, a pré-candidatura do vice-prefeito Antônio Coelho a Prefeitura de Sítio Novo.

Para os analistas da oposição, se não fossem as pessoas levadas da cidade para o evento, as inaugurações das obras teriam sido o maior fiasco da história de Sítio Novo.

Apesar de que as obras são grande importância para as comunidades, a população percebeu que se tratava de uma armação política para promoção de candidaturas, visando as eleições 2020. Veja as imagens!